O foco do curso será na construção de páginas WEB acessíveis com base nas recomendações da W3C e no eMAG.
 


A Escola do Poder Judiciário de Roraima (Ejurr), nesta segunda-feira, (25), abriu inscrição para o Workshop de Acessibilidade: A web na rota da inclusão. O curso será realizado de forma on-line, no formato EaD, pela plataforma digital Google Meet, na qual terá como público-alvo magistrados, magistradas, servidores e servidoras do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima (TJRR).


A inscrição ficará aberta até dia 3 de agosto e poderá ser realizada através do site ejurr.tjrr.jus.br, com início previsto para o dia 5 de agosto, sendo disponibilizado ao total de 40 vagas, com carga horária de 3 horas/aula.
 

Inscreva-se aqui


O Workshop tem como objetivo capacitar os cursistas para desenvolver as abordagens utilizadas na construção de páginas WEB acessíveis com base nas recomendações da W3C e no eMAG. Além de analisar a solução de diferentes problemas de acessibilidade; Desenvolver abordagens acessíveis para autismo, surdez, dislexia, baixa visão, deficiência física; Produzir designs inclusivos; Desenvolver front-end mais inclusivo, HTML e os Leitores de Tela Formulário Acessível.

 

O que são as recomendações eMAG e W3C?


O Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG) consiste em um conjunto de recomendações a ser considerado para que o processo de acessibilidade dos sítios e portais do governo brasileiro seja conduzido de forma padronizada e de fácil implementação.


O World Wide Web Consortium (W3C) é um consórcio internacional em que organizações filiadas, uma equipe em tempo integral e o público trabalham juntos para desenvolver padrões para a web. 


Importante


Serão certificados os alunos que obtiverem frequência mínima de 100% da carga horária total do curso e aproveitamento na avaliação formativa. A inassiduidade ou desistência injustificadas no curso implicarão na impossibilidade de participação em novos eventos da mesma natureza pelo prazo de 06 (seis) meses, a contar da data do término da ação, nos termos do Art. 6º da Portaria 975/2015. 


O servidor injustificadamente faltoso/desistente deverá ressarcir ao erário o valor do investimento proporcional à quantidade de inscritos (Art. 6º, § 2º da Portaria 975/2015). Mais informações pelos telefones da EJURR: 3198-4156 e 3198-4157.