A Coordenadoria de Violência Doméstica do Tribunal de Justiça de Roraima realizou, em 2021, uma análise de processos judiciais envolvendo casos de feminicídios que ocorreram nos últimos cinco anos, em Roraima, e que resultaram em mortes ou tentativas de mortes violentas de mulheres no âmbito doméstico e familiar.

Em formato de artigo e com o título “Até que a morte nos separe”, o estudo analisou 33 casos de feminicídios, sendo 15 casos tentados e 18 consumados, no período de 2016 a 2021 (primeiro semestre), e trouxe dados importantes sobre situações ou contextos de violência doméstica e familiar que sinalizam risco de feminicídio no âmbito das relações domésticas ou familiares.

De acordo com a Juíza da Coordenadoria de Violência Doméstica, Suelen Alves, a partir  dessas informações é possível planejar ações preventivas de combate a esse tipo de violência: "O estudo publicado tem como objetivo desenvolver outras ações de combate à violência doméstica e termos uma nova perspectiva para julgamentos que envolvam o crime de feminícidio, a perspectiva de gênero.”, explicou.

 A pedagoga Aurilene Mesquita, que atua na Coordenadoria, disse que o estudo visa analisar a frequência de fatos, situações e condições específicas nos crimes de feminicídio tentados e consumados.  “O resultado, que pode ser acessado no artigo, revelou fatores de riscos comuns à maioria dos crimes contra as mulheres, dentre eles, o histórico de violências anteriores, uso de álcool e não aceitação de uma separação."


CLIQUE AQUI E LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA