O novo espaço trará melhor qualidade às ações educativas promovidas pela escola e comodidade aos profissionais que participarão das gravações.
 


Neste ano, ocorreram muitas transformações na Escola do Poder Judiciário de Roraima (Ejurr). Uma delas foi a execução do projeto de implementação do estúdio de áudio e vídeo, cujo planejamento começou ainda na gestão anterior, quando foram iniciados os procedimentos para aquisição dos equipamentos. 

O estúdio é uma estrutura que utiliza a tecnologia para facilitar o ensino no Tribunal de Justiça do Estado de Roraima (TJRR) O local, que está sendo utilizado desde setembro, conta com iluminação apropriada e equipamentos que permitirão uma melhor qualidade nas gravações de aulas virtuais, bem como na transmissão de lives e demais eventos.

A desembargadora Elaine Bianchi, diretora da Ejurr, explicou que, com a utilização do estúdio é possível produzir diversos conteúdos em audiovisual, com excelente qualidade técnica, ampliando-se a capacidade da escola de ofertar mais cursos aos servidores, servidoras, magistrados, magistradas e demais colaboradores e colaboradoras do TJRR.

“Com o estúdio, a Ejurr investirá ainda mais em ações formativas na modalidade EaD, aumentado os cursos com aulas assíncronas, que poderão ser disponibilizadas aos servidores, magistrados e colaboradores, na medida em que necessitarem do conhecimento para desenvolverem o trabalho em suas unidades de lotação. Também haverá a possibilidade de compartilhamento de nossos cursos com outras escolas judiciais do Brasil”, destacou.

Aulas assíncronas são aquelas em que os conteúdos ficam disponíveis em uma plataforma virtual, com suas explicações sobre um determinado tema. Os conteúdos de audiovisual são previamente gravados. Esse tipo de curso é interessante para o aluno que não dispõe de muito tempo para se qualificar, pois pode ser acessado em qualquer horário e local, desde que se tenha internet.

Vera Brito, assessora  técnica da Ejurr e coordenadora do estúdio, disse que a qualidade das transmissões de eventos ao vivo também evoluiu: “Este ano, devido à pandemia de Covid-19, investimos bastante nas palestras e workshops virtuais. Foi uma alternativa para que o efetivo de nosso Tribunal, que estava na maioria em home office, pudesse se adaptar à modalidade e continuar se qualificando de casa. Com a instalação do estúdio, pudemos verificar que as nossas lives melhoram em qualidade técnica, pois foi possível utilizar diversos recursos que antes não tínhamos.

Ainda este ano, a Ejurr realizou seu primeiro evento híbrido. De acordo com Diêgo Viana, assessor técnico da Ejurr que atua diretamente nas gravações e edições de vídeo, o feito foi possível devido às novas possibilidades trazidas pelos equipamentos e pela estrutura do estúdio. “Os eventos híbridos vieram para ficar. Por meio deles a gente possibilita que as pessoas optem por participar presencial ou virtualmente de cursos, palestras, apresentações, entre outras programações”, afirmou.