A Escola do Poder Judiciário (Ejurr) oferta 40 vagas para o curso de Teletrabalho. A ação formativa vai ocorrer no período de 13 a 27 de abril e tem carga horária de 15 horas/aula. O objetivo da iniciativa é proporcionar aos participantes o conhecimento sobre as ferramentas conceituais e práticas necessárias para realização do home office, bem como a importância da ergonomia e segurança da informação no desenvolvimento de suas atividades em trabalho remoto.

O curso será realizado na modalidade EaD e é autoinstrucional, ou seja, não há acompanhamento de um tutor. O participante acessa os materiais e conteúdos disponíveis e estuda de acordo com seu ritmo de aprendizagem e sua disponibilidade de tempo.

Para a Chefe do Setor de Formação e Aperfeiçoamento (Sfaper), Tayane Sales, “É importante que servidores e magistrados estejam preparados para essa nova modalidade de trabalho. A Ejurr, desde o ano passado, tem realizado capacitações e oficinas de teletrabalho, visando superar as dificuldades enfrentadas por servidores e magistrados, que tiveram que se adaptar ao trabalho remoto, devido à pandemia de Covid-19”, explicou.

Sales disse que é importante que os magistrados e servidores façam o curso, para terem conhecimento das medidas de segurança que devem adotar: “O servidor precisa tomar alguns cuidados quando trabalha em casa. A falta de um local com boa iluminação, com móveis e equipamentos adequados podem não só prejudicar o trabalho, mas também a saúde do servidor”.

As inscrições podem ser realizadas até às 14h do dia 12 de abril, no portal da Ejurr, ou clicando no link abaixo:

Faça sua inscrição aqui.
 

Em 2020, a Ejurr abriu oito turmas do curso de Teletrabalho, bem como promoveu uma oficina sobre o tema. Este ano, em alinhamento com as regulamentações do TJRR em relação à pandemia, a escola volta a oferecer o curso, que foi disponibilizado pela Escola Judicial do TRT da 11ª Região, a partir de uma parceria com a Ejurr.


Teletrabalho como regra durante a pandemia

Com o agravamento da pandemia, o TJRR instituiu o teletrabalho como regra. A Portaria Conjunta nº 08, de 12 de março de 2021, possibilitou ainda que servidores que não dispuserem de computadores e equipamentos suficientes para o teletrabalho possam retirar de suas estações de trabalho, para realização do trabalho remoto.