Parte 2: Perla Lima, psicóloga do TJRR

 

No dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher, data em que se celebram conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas e, consequentemente, por diversos países. Por esse motivo tão especial, a equipe da Escola do Poder Judiciário (Ejurr) resolveu fazer entrevistas semanais durante o mês de março em homenagem a mulheres mais que especiais: formadoras da Ejurr, ou profissionais que de alguma forma já fizeram parte da história da escola. A entrevista de hoje é com Perla Alves Martins Lima, atualmente lotada na Subsecretaria de Saúde (Subsa).
 


 

Perla é um exemplo de que inteligência, beleza e simpatia são perfeitamente conciliáveis. Natural de Manaus, a psicóloga é Mestre e Doutora formada pela Universidade Federal do Amazonas. É Analista judiciária/ Psicóloga no Tribunal de Justiça do Estado de Roraima, com atuação na Subsecretaria de Saúde. É também professora na Universidade Estadual de Roraima e pesquisadora com diversas publicações científicas na área de atuação. Também é criadora de conteúdo digital, cujo canal (@psiqueentrenos) discute assuntos de Psicologia de forma leve e prática no Instagram e no You Tube. Além de todas essas atividades, Perla ainda é uma das formadoras da Ejurr. Encontra sempre um tempo na agenda para colaborar com a disseminação do conhecimento, favorecendo seus colegas magistrados, servidores e colaboradores do TJRR.

Confira a entrevista!

Perla, é um prazer enorme conversar com você. Como você começou a trabalhar como psicóloga? E no serviço público?

Eu que agradeço pelo convite. Logo que me formei em Psicologia, passei no concurso público da Prefeitura de Manaus, em 2011, e já comecei a trabalhar como psicóloga no serviço público. E, depois disso, passei no concurso do TJRR como Psicóloga e atuo até hoje.


O dia 8 de março foi definido, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como o Dia Internacional da Mulher. O que torna essa data especial para as mulheres, na sua opinião?

É uma data para lembrarmos de todas as conquistas que já conseguimos alcançar até aqui. Uma data para lembrarmos da importância do autocuidado e da busca do amor-próprio.


O quão balanceado você considera o seu ambiente de trabalho atual em relação a homens vs mulheres? Como foi isso na sua carreira?

Atualmente o número de mulheres é maior no meu ambiente de trabalho, na Subsecretaria de Saúde predomina a presença de mulheres. No decorrer da minha carreira como psicóloga, desde a minha formação, a porcentagem de mulheres sempre foi maior. É comum na minha área de atuação termos mais mulheres.


E você sentiu algum desafio na carreira específico por ser mulher?

Um dos maiores obstáculos e desafios é o fato de alguns homens se sentirem desconfortáveis em serem atendidos por uma psicóloga. Há um tabu muito grande e muitas vezes até quase intransponível quando falamos em intimidade. Muitos homens quando querem conversar com alguém sobre situações íntimas e sexuais preferem falar com outros homens, o que acaba criando uma barreira. Então esse é um dos grandes desafios, mas não algo que tenha me impedido de exercer minha profissão de forma ética e profissional.


Tem alguém que lhe inspira nessa trajetória?

Minha grande inspiração são as mulheres pesquisadoras que enfrentaram e enfrentam grandes desafios para produzirem conhecimento e contribuir com o desenvolvimento da ciência pelo mundo afora.


Você tem conselhos específicos para mulheres que estão começando agora nesta área da Psicologia e que almejam ingressar no serviço público?

Como uma boa professora o meu conselho é: estudem, dediquem-se, busquem seus sonhos e não desistam. A busca do conhecimento ainda é a melhor forma de você se tornar uma pessoa melhor, crescer profissionalmente e realizar seus maiores sonhos.


E para o mercado de trabalho de forma geral, que conselho daria para que as mulheres possam contribuir para um mercado com oportunidades iguais?

Para estar apta a concorrer com as oportunidades disponíveis no mercado você precisa especializar-se, manter-se atualizada, buscar novos conhecimentos e não se acomodar. Estudar para alcançar níveis de qualificação que te privilegiem e que você consiga boas oportunidades.