A Escola do Poder Judiciário de Roraima - Ejurr promoveu no último dia 13 de agosto, às 17h, um evento on-line para discutir os “Desafios da Mulher na Magistratura”, com participação das juízas Lana Leitão, Anita Lima de Oliveira, Bruna Zagalo e mediação da magistrada Graciete Sotto Mayor Ribeiro.

O evento foi transmitido nos canais oficiais da Ejurr (Facebook, Instagram e Youtube) e teve como objetivo discutir os desafios na carreira, bem como avaliar que as ações realizadas pelo Conselho Nacional de Justiça já vem resultando no aumento da participação feminina no Judiciário.

A presença feminina nos cargos mais importantes do Poder Judiciário brasileiro, assim como o avanço na carreira, não possui relação direta com a região geográfica do país onde a magistrada atua. É o que mostra a atualização do levantamento realizado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre os dados que integram o “Diagnóstico da Participação Feminina no Poder Judiciário”.

Segundo o levantamento, de 1988 para cá, o número de mulheres aumentou na Justiça Estadual. Na Justiça Federal, no entanto, o percentual diminuiu. Se considerarmos o número total de magistrados em exercício em todo o Brasil (Justiça Estadual, Federal, tribunais superiores, entre outros), a participação feminina cresceu quase 60% de 1988 até 2018, indo de 24,6% para 38,8%.

Se você não conseguiu participar do evento ao vivo, CLIQUE AQUI E ASSISTA em nosso canal no Youtube.



EJURR
Dados: CNJ/CONJUR